Procure no Apolo11
Domingo, 11 dez 2022 - 11h02
Por Rogério Leite

Missão cumprida: cápsula Orion deve pousar no Pacífico no domingo

Após 25 dias no espaço, a nave espacial Orion finaliza sua missão histórica neste domingo e se tudo der certo deverá retornar à Terra mergulhando nas águas frias do Oceano Pacífico, na altura da Baixa Califórnia. O retorno da Cápsula está previsto para às 14h39 pelo Horário de Brasília e será transmitido ao vivo pelo ApoloChannel.

Durante o retorno à Terra, a Nasa usará o Satélite de Rastreamento e Retransmissão de Dados (TDRS), com o objetivo de facilitar as comunicações durante a queima de correção da trajetória, separação entre a Orion e o módulo de Serviço, reentrada na atmosfera e mergulho no oceano.

Alguns minutos antes da separação entre as naves, a comunicação passará da Rede do Espaço Profundo para a Rede de Espaço Próximo, que usa os satélites TDRS.

Continua após a publicidade


Localizados em órbita geossíncrona a cerca de 35 mil km acima da Terra, os satélites TDRS são usados para retransmitir dados de espaçonaves em altitudes mais baixas para antenas terrestres. Durante a reentrada, o calor intenso gerado quando Orion encontra a atmosfera transforma o ar ao redor da cápsula em plasma e interrompe brevemente a comunicação com a espaçonave.

A nave completou uma longa volta ao redor da Lua e realizou a primeira parte da Missão Artemis, cujo objetivo principal é levar astronautas à Lua em 2025. Durante a missão, a Orion coletou milhares de dados extremamente importantes para a missão, entre eles a análise de dados de radiação do cinturão de Van Hallen, uma espécie de escudo de partículas carregadas localizado entre mil e cinco mil quilômetros de altitude da Terra.

O cinturão de Van Hallen foi descoberto em 1958 por James Van Allen, que elaborou um experimento de raios cósmicos embarcado na sonda americana Explorer 1, lançada em janeiro de 1958


Tudo pronto
As equipes de resgate já se encontram na costa de Baixa Califórnia, onde aguardam para receber a espaçonave após a reentrada na atmosfera a cerca de 40 mil km/h.

As equipes também tentarão recuperar recuperar o hardware descartado durante o pouso, incluindo a cobertura do compartimento dianteiro e os três paraquedas principais. Uma equipe de engenheiros do Johnson Space Center estará a bordo do navio de recuperação da Marinha dos EUA e usarão o software “Sasquatch” para identificar a assinatura do hardware liberado da cápsula. O objetivo principal da equipe do Sasquatch é ajudar a nave a chegar o mais perto possível da Orion e do material ejetado.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.




Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2024

"Tudo pode acontecer neste mundo, se a natureza pede" - Machado de Assis -